8.11.08

A História de Buddha - Maturidade



Aos 16 anos, casou com a linda Yasodhara, filha do rei Suprabuddha, após vencer um torneio em que derrotou vários adversários em diversas competições.
Conta-se que tinha três palácios: um para a estação quente, outro para o inverno e outro para a época das chuvas. O velho Rei suddhodana tentava, por todos os meios, evitar que se cumprisse a previsão do velho vidente, Asita, e tudo fazia para que o jovem Sidarta pudesse, um dia, ser um guerreiro como os de seu clã, e através de conquistas levasse a glória dos Sakyas além das suas fronteiras. Desse modo, procurava o Rei impedir que o coração sensível de Sidarta fosse atingido pelas tristes realidades do mundo.
Era virtualmente um prisioneiro dentro de seus suntuosos palácios e parques. Somente os jovens dele se aproximavam, a fim de que o príncipe continuasse iludido sobre a realidade da vida. Quando demonstrava vontade de ir a Kapilavastu, o Rajá Suddhodana mandava pintar todas as casas das ruas que o séqüito do príncipe iria atravessar.
Ordenava ao povo que vestisse roupas novas e afastava os velhos e doentes.Certa vez, iludindo a vigilância paterna, Sidarta sai disfarçado em mercador com seu fiel escudeiro Channa, para ir até à cidade.
É clássico no Budismo a descrição desse passeio e do choque que lhe produziu a realidade. No seu trajeto, encontra um velho, um doente cheio de pústulas e coberto de moscas, um cadáver e um Saniasin com seu hábito amarelo.Depois de uma dura luta interior, Sidarta resolveu conscientemente abandonar a casa, a família e as riquezas, como era comum naquela época e ainda o é hoje em dia, se bem que raramente. Seu único filho, Rahula (obstáculo), nasceu na noite em que ele decidiu partir, aos 29 anos.Assim, devotou-se ao terceiro estágio do ascetismo na floresta, no qual, de cabelos raspados, hábito amarelo e com os bens pessoais reduzidos ao mínimo, teria de mendigar o próprio alimento. Praticou meditação e severas austeridades. Após 7 anos de ascese severa compreendeu que seu espírito não recebia luz por esta via.




Uma jovem pastora chamada Sujata decidiu fazer uma oferenda de leite e arroz aos seres divinos da floresta. Aquele era um gesto de agradecimento por ela ter conseguido um filho.
Ao ver Siddhartha meditando na floresta, Sujata pensou que ele fosse uma divindade e lhe entregou a oferenda. Siddhartha se alimentou e logo recuperou a saúde.Os outros ascetas pensaram que ele tinha abandonado sua busca pelo despertar e o deixaram para trás. Siddhartha foi então para Bodh Gaya, onde os seres iluminados do passado atingiram o despertar.